e você vai comprar uma rural pra gente capotar + 3 poemas de Heyk Pimenta

quando sacar
o anel de casamento
não terei onde guardá-lo
que perco muito as miudezas
imagino que guardado
bem ficaria guardado
bem demais como quem
guarda com carinho
e reza
ele só cabe nos anelares
mas nos anelares é compromisso
ela disse e já
guardou o dela
podia devolvê-lo mas
ia ter cara de desfeita
acontece que não paguei
por ele mas
também não foi presente
imagina um colar com um
anel de casamento
apertaria o pescoço e
cavaria o esterno
quando sacar
o anel de casamento
vai ficar um anel de pele
mais claro
um pouco apertado
no peito

 

comemos cheques e porcaria
juntos em países diferentes
e fico mexido
se seus olhos olham pra câmera
nas fotos
eles entram em mim
passam a morar aqui
os bato com os sonhos
tenho os ossos e as unhas moles
tenho agiotas nas costelas e durmo
com eles e somos irmãos
se houver chance e brasil
tenho planos cada vez mais modestos
e saudade de quando o futuro
organizava o amor
mas vejo a fila e vejo a fila

 

colagem021

nos vejo
tão de perto
que cogitei te dar amor e família
mas não tenho nada disso
tenho um carregamento de burocratas
e vegetais a vapor
que vai virar
na rua Monte Alegre 201
onde o jardim não perde o viço e a noite
chega às 14h
foi preciso a China e a tempestade e seu hotel
de espelhos e suas pernas
enlaçadas no roupão
pra eu ter a pachorra de te olhar na cara
apertar santo expedito entre as coxas
e rezar para que volte tempestade
mas dois feridos de guerra não podem se carregar
dois feridos de guerra não podem se carregar

 

e você vai comprar uma rural pra gente capotar
lembro agora enquanto você conta a grana
que você disse que gostava
de mim porque eu não jogava lixo no chão
um anjo de fibra
nos cintos
o sorriso desgraçado
que nos aparta de tudo

 

Poemas publicados em “Surrado”, megamini publicado pela 7Letras (2019)
Colagem: Samuel Teixeira

heyk

Heyk Brauner Pimenta Estanislau (1987, Manhuaçu MG), já morou em quarenta casas, tem um filho, escreve poesia e dá aula de sociologia no ensino básico.  É possível achar outros poemas em outras revistas legais como essa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s